Cerca de cem atletas e professores de artes marciais se reuniram dia 23 de Abril na frente da Assembleia Legislativa de São Paulo

Reuniram-se para a promoção de ato pela reabertura das academias, que assim como a maior parte dos estabelecimentos comerciais do estado, estão fechadas como medida preventiva contra a pandemia do novo coronavírus. Trajando uniforme de treino, os atletas apareceram de máscara, conversaram com a polícia e com o deputado estadual Altair Moraes (Republicanos), autor de um projeto de lei que pretende permitir a reabertura de parques e academias. Um dos participantes do ato foi o atleta Anderson Berinja dos Santos, do UFC.

O treinador Edy Dias, da Extreme Team, de Guarulhos, afirmou que o grupo pretendia inicialmente fazer uma manifestação, mas o encontro acabou sendo uma reunião entre treinadores e atletas. “Nossa categoria, professores e atletas de arte marcial, está sendo marginalizada porque estamos sendo impedidos de trabalhar. Os parques estão fechados, o que nos impede de dar [treinos de] personal fight nos parques. Condomínios também não estão podendo ter nenhum tipo de atividade física, as áreas de lazer estão fechadas. Reinvindicamos o direito de poder trabalhar de uma forma ou de outra.

Depois de um mês de medidas de isolamento social, o governador João Doria (PSDB) anunciou a extensão da quarentena, sendo de responsabilidade de cada prefeito as medidas de afrouxamento ou não do isolamento, mas as atividades físicas ainda não são prioridades dos governantes.

Deixe seu comentario

Insira seu comentario
insira seu nome aqui