O bodybuilding brasileiro e seus heróis

Depois de dois finais de semanas intensos de campeonatos importantes e com a incrível audiência que conquistamos, vejo a importância que o esporte vem conquistando e nada mais justo do que informar à todos vocês como chegamos até aqui.

Toda história precisa ser vivida do começo,meio e fim. E o bodybuilding brasileiro não é diferente. A nova geração dos millenials, não sabe; mas já tivemos um atleta bodybuilder na categoria OPEN.

Luiz Otavio de Freitas é seu nome, após um quiz feito em nosso instagram menos de 1% acertou seu nome. Após vencer o Mundial Amador na Espanha em 1987, competiu o Mr. Olympia 1988, subiu com 220lb em um palco de gigantes e representou o Brasil bravamente. Em uma época em que não havia redes sociais ou mesmo empresas que apoiassem o esporte, tenha certeza que fez tudo pelo simples amor ao esporte

Depois disso, o Brasil viveu uma grande ressaca. Só conquistou novamente uma vaga no Olympia com Eduardo Correa. Foi em 2009, na antiga categoria 202lb que conquistou terceiro lugar, repetiu a proeza em 2010.

Já em 2013 foi em quinto e, finalmente, sua melhor colocação em 2014 em segundo lugar, consagrando-se o melhor bodybuilder brasileiro de todos os tempos.

Ainda houve mais um atleta que atingiu os palcos do Olympia. Fernando Noronha Maradona nos anos de 2011 e 2012, consagrando-se também com reconhecimento merecido à tantos anos dedicados ao esporte tanto como atleta como dirigente da federação.

 

Deixe seu comentario

Insira seu comentario
insira seu nome aqui