Larry Wheels é um powerlifter de 23 anos e agora aspirante a bodybuilder

Larry Wheels  possui inúmeros recordes de powerlifting nas classes de peso de 242 e 275 e uma estrutura muscular excepcional. Em dezembro, ele anunciou sua intenção de competir em seu primeiro show de bodybuilding  no início de 2018 e não tem sido tímido ao postar seus vídeos na internet.

Alguns o compararam com Stan “The Rhino” Efferding, que era um levantador de peso que virou fisiculturista, a principal diferença é que Larry é muito mais jovem. É também impressionante que alguém tão forte possa ser tão magro, mas Larry nunca foi tímido quanto ao uso de esteróides. Aos 21 anos ele estava atormentado por vícios como álcool e drogas recreativas. Então ele decidiu fazer uma mudança e “substituir um vício por outro, e isso era esteróides”.

Quando ele iniciou o uso de  esteróides, ele disse que acreditava que “ quanto mais melhor” e tomava até 1.200 miligramas de testosterona, e em um certo ponto trembolona, ​​dianabol e um “clone” de superdrol, todos no mesmo ciclo de dezesseis semanas.

Ele experimentou 400 mg de doses de acetato de trembolona e 450 mg de enrolato de trembolona. É claro que as consequências foram severas:

“Eu me sentia terrível. Parecia que tinha um rato vivo comendo meu estômago e intestinos de dentro pra fora.”

Agora ele diz, toda a experimentação o levou a uma dosagem confiável.

“TESTosterona AND ANADROL,  são MEU PÃO E MANTEIGA desde  SETEMBRO DO ÚLTIMO ANO. COM ANADROL, EU NÃO TENHO EFEITOS colaterais além do aumento da PRESSÃO SANGUÍNEA, o que eu sinto de manha quando abaixo para amarrar meus sapatos e parece que minha cabeça vai explodir.”

Ele disse que o anadrol oferece mais força com o menor efeito colateral. Independentemente de suas opiniões sobre esteróides, é bom ouvir um atleta ser aberto e honesto sobre eles. Ele também parece ser honesto consigo mesmo, dizendo que sabe que os esteróides são um “compromisso vitalício”.

No que diz respeito ao seu físico, ele parece bem condicionado com ótimas proporções. Sua única fraqueza pode ser o seu tríceps, um músculo comum de ser atrasado entre os powerlifters, mas um detalhe relativamente fácil de corrigir. O maior desafio para Wheels será provar a sustentabilidade de seu treinamento e suplementação farmacológica.

Compartilhar

Deixe seu comentario

Insira seu comentario
insira seu nome aqui