O European Journal of Clinical Nutrition como todos os jornais especializados em saúde e bem-estar

Estão buscando maneiras de driblar o grande impacto social e econômico que a pandemia do coronavirus tem promovido dentro da sociedade. Considerando o grande fardo econômico que já estamos enfrentando, qualquer medida que possa acelerar a recuperação e impedir a deterioração social e diminuição das taxas de mortalidade

O artigo menciona que pacientes com deficiência de vitamina D constituem um grupo de alto risco para desenvolvimento da forma severa do covid-19. Além disso, ressalta o importante papel que ela apresenta no controle da doença cardiovascular e do diabetes, bem como observa que a sua deficiência também está presente na grande maioria dos pacientes obesos. .

Segundo o artigo, constatou-se que o tratamento com ALTAS DOSES de vitamina D, entre 250 mil e 500 mil foi SEGURO em pacientes hospitalizados resultando em um desfecho favorável e uma melhora na capacidade do sangue de transportar oxigênio e também aumentar os níveis de hemoglobina.

Mostra que o risco de infecções agudas do trato respiratório viral foi 2x MENOR se os níveis de vitamina D eram ≥95 nmol / L (taxa de risco 0,51; IC 95%, 0,25-0,84; p <0,0001) e a porcentagem de dias de doença foi 5x MENOR (0,80% vs. 3,9%, p = 0,02). .

Portanto, devido a “pandemia de deficiência de vitamina D” e para aumentar significativamente e rapidamente as concentrações no sangue, sugerem uma intervenção em doses elevadas de vitamina D com potencial benefício na redução do risco de gravidade e na mortalidade de COVID-19.

Um tratamento que é seguro e não invasivo. PARA DOSES ALTAS, SIGA SEMPRE ORIENTAÇÃO DE UM MÉDICO RESPONSÁVEL. .

Qualquer medida que acelere a recuperação e reduza o risco de morte deve ser considerada neste momento.

Deixe seu comentario

Insira seu comentario
insira seu nome aqui